Projetos

Filtrar por:

Máquina de coleta de plaquetas por aférese

O Hemocentro Regional de Caxias do Sul (HEMOCS), entidade pública sem fins lucrativos, pertencente à HemorredePública de Sangue, Hemoderivados e Serviços Hemoterápicos do Estado do Rio Grande do Sul e é gerenciado,adminsitrado e subordinado à Secretaria Municipal de Saúde do município de Caxias do Sul, contando com as parceriasdo Estado e da União.O HEMOCS, desde a sua criação em 1997, vem aprimorando suas atividades técnicas em paralelo à adequações daslegislações que o regem. é regrado pelas Normas RDC nr. 151, de 21 de agosto de 2001, RDC nr. 34, de 1 de junho de2014 e Portaria Ministerial nr. 158, de 4 de fevereiro de 2016. Atualmente atende Caxias do Sul e os 49 (quarenta e nove)municípios das regiões de saúde 23, 24, 25 e 26, com abrangência hematológica e hemoterápica sobre mais de 1.300.000(um milhão e trezentos mil) habitantes, exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), efetuando mais de 15.000coletas de bolsas de sangue por ano. Para garantir tal cobertura, trabalha em atendimento ao público no horáriocomercial e em regime de 24 horas, todos os dias da semana.abastece 18 (dezoito) hospitais da região tendo distribuído mais de 21.500 bolsas de hemocomponentes no exercício de2016. Também centraliza-se no HEMOCS, na abrangência da região nordeste do estado do Rio Grande do Sul,procedimentos de sangria terapêutica, transfusões sanguíneas, assistência aos pacientes com coagulopatias e aplicação defatores de coagulação.Os fragmentos celulares sanguíneos envolvidos no processo inicial da coagulação do sangue são conhecidos comoplaquetas.Cada bolsa doada gera, de maneira simplista, três hemocomponentes básico: o Concentrado de Hemácias (CH),Concentrado de Plaquetas Randômicas (CP) e o Plasma Fresco Congelado (PFC). Cada hemocomponente temindicações e validades diferentes.A validade do CP é de 5 dias a contar da data de doação e a deficiência desta fração sanguínea aumenta, em muito, aschances de sangramento, podendo, em alguns casos, aumentar o risco de vida dos pacientes que apresentam alteraçõesplaquetárias. Basicamente as indicações de transfusão de Concentrado de Plaquetas estão associadas às plaquetopenias(falta de plaquetas), desencadeadas por falência medular, como as que ocorrem nos casos de doenças oncológicas,hematológicas e/ou quimioterapia e radioterapia. Também os pacientes com deficiência de plaquetas que precisam sersubmetidos a procedimentos cirúrgicos devem receber a reposição, bem como em cirurgias cardíacas e deficiênciascongênitas, entre outros.Os Concentrados de Plaquetas Randômicos (que provém da coleta de sangue total), contém aproximadamente5,5x10e10 plaquetas. Já as unidades obtidas por aférese (que provém da coleta, por agendamento, e é procedimentoespecífico em um único doador) contém, pelo menos, 3,00x10e11 plaquetas, ou seja, uma oferta consideravelmentemaior para o paciente que necessita desta transfusão.O HEMOCS, de janeiro a dezembro de 2016, distribuiu 6476 (seis mil, quatrocentos e setenta e seis) bolsas de plaquetas,com média de 540 bolsas mensais, sem contabilizar perdas por validade. A demanda por este hemocomponente vemaumentando com a abertura de serviços de oncologia pelos Hospital Geral, Hospital Pompéia de Caxias do Sul eHospital Bartholomeu Tacchini de Bento Gonçalves, e também com o aumento das cirurgias cardíacas pelos hospitais daregião.As plaquetas obtidas através de procedimento automatizado por aférese apresentam as seguintes vantagens sobre asplaquetas coeltadas randomicamente a cada doação de sangue: a) necessitam menor número de doadores para atenderuma dose terapêutica, b) aumento da qualidade, c) diminuição de riscos de reações transfusionais, d) possibilidade decoleta feita sob demanda, e) possibilidade de retirada de alíquota para controle microbiológico, f) gestão de estoqueassertiva.Em 2017 o HEMOCS conta com um equipamento para coleta de plaquetas por aférese, que foi adquirido em 3 denovembro de 1998. Vimos sendo alertados pelo fabricante de que os insumos para coleta através desta máquina serãodescontinuados. além disto, hoje em dia os equipamentos de coleta de plaquetaférese utilizam acesso venoso único,enquanto que a máquina cosntante em nosso patrimônio carece de dupla punção e maior tempo de procedimento, o quepor vezes gera desconforto ao doador.O futuro próximo relacionado à transfusão de Concentrado de Plaquetas, inclusive indiretamente recomendado peloArt. 116 Inciso 8o da Portaria Ministerial nr. 158, de 4 de fevereiro de 2016, é o abandono das transfusões de plaquetasrandômicas en detrimento às coeltadas por aférese.

Postado em de de por Rotary Club de Caxias do Sul-Imigrante

Projeto Visão

Atendendo mais de 160 crianças nos últimos 7 anos, recebemos a demanda das escolas que identificam crianças com dificuldade de aprendizado e encaminhamos para consulta oftalmológica e posterior aquisição de óculos quando necessário. Graças aos eventos realizados pelo clube, é possível apoiar nesse processo e garantir que essas crianças tenham uma melhor qualidade de vida. Obrigada a todos que nos ajudam a manter ativo esse e outros projetos do Rotary.

Postado em de de por Rotary Club de Flores da Cunha

Projeto Mais Vida para Todos

Um litro de óleo contamina 20 mil litros de água. Uma pessoa consome essa quantidade de água em 125 dias. O Clube juntamente com o Rotaract Club disponibilizam pontos de coleta de óleo de cozinha usado para recolhimento e reciclagem através da fabricação de barras de sabão por meio de equipamento comprado com recursos de subsídio distritais.

Postado em de de por Rotary Club de Flores da Cunha

Localizar site dos clubes